21 maio 2014

CIRCOS - Festival Internacional SESC de Circo: imperdível!





 

O que estas imagens tem a ver uma com a outra?
 
São imagens de divulgação de apenas algumas das apresentações de circo da segunda edição de Circos: Festival Internacional SESC de Circo. A programação está tão interessante que é difícil escolher o que ver. Entre no site oficial do evento aqui e delicie-se!
 
São espetáculos internacionais e nacionais, intervenções, atividades formativas, encontros entre profissionais, exibição de vídeos, ocupações e uma exposição.  

Não perca! Informe-se! Participe!

O evento começa dia 23 de maio.

http://www.arteducacaoproducoes.com.br/

19 maio 2014

Oportunidade de trabalho!

Quer trabalhar como educador com o Arteducação Produções?

Acesse aqui orientações de como nos enviar seu currículo!

http://www.arteducacaoproducoes.com.br/

17 maio 2014

Educação Patrimonial em pauta! Participe!

 
 

Quer ser fotografado como antigamente?



Os fotógrafos Roger Sassaki e Fernando Fortes do grupo Imagineiro participam da Virada Cultural no dia 18, das 13h às 18h na Praça do SESC Belenzinho.  O grupo é conhecido pela sua pesquisa e resgate de uma técnica fotográfica desenvolvida no século 19 que se utilizava de uma placa unida de colódio para produzir os Ambrótipos e os Ferrótipos.
 
Quer saber mais?
 
Que tal participar, conversar com os fotógrafos e levar um retrato seu para casa?
 
As imagens serão produzidas num mini estúdio fotográfico móvel que possibilita ao público vivenciar todo o processo de criação de uma imagem: a preparação da placa fotográfica, o registro e a revelação.  Assim como antigamente, dedique-se com TEMPO a esta experiência. Pode ser mágico!
 
SESC Belenzinho
Dia 18. Domingo, das 13h às 17h.
Praça
Maiores informações, aqui.


http://www.arteducacaoproducoes.com.br/
 

12 maio 2014

Conversas ao meio dia com Carolina Marielli


Olá,


Sou a Carolina, mas podem me chamar de Carol, vou contar resumidamente minha formação e trajetória profissional, assim vocês podem me conhecer um pouco, antes de iniciarmos nossa conversa.
Sou Mestre em Artes pelo Instituto de Artes da UNESP, e graduada em Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas também pelo mesmo instituto, tenho formação técnica de nível médio em Desenho de Comunicação pela EESG Carlos de Campos, atual Etec e em Vestuário pelo Senai.
Desde 2001 desenvolvo trabalhos de pesquisa em Arte e Design, voltados para cursos de formação de educadores/professores, desenvolvimento de currículo, projetos na área de mediação em espaços culturais, arte-educação, assim como oficinas de linguagens visuais/design. Como docente atuo desde o ensino fundamental à pós-graduação, mas concentrando minhas atividades na educação profissional e médio.
Hoje na nossa "Conversa ao meio dia" vamos falar um pouco sobre Gamecultura e a Cultura dentro dos jogos eletrônicos. Parto do pressuposto que jogos eletrônicos podem ser abordados de muitas maneiras por educadores, alguns artigos  tem discutido o papel deles na contemporaneidade e na educação. Vale a pena dar uma olhada na produção do Tecnologias da Inteligência e Design Digital da PUC de São Paulo, a Revista Culturas Midiáticas da Universidade Federal da Paraíba ou uma pequena busca no Google Acadêmico para percebermos os diversos enfoques e aproximações.

Gamecultura se formaliza nas práticas sociais, hábitos cotidianos e valores mediados pelos jogos eletrônicos, bem como aqueles originados por outras mídias que partilham de seus conteúdos e matrizes. Basta olhar a sua volta, no transporte público, nos intervalos e salas de espera ou perguntar aos seus educandos o que eles andam jogando ultimamente, para percebemos o quanto estamos imersos nessas questões.

A questão dos jogos como cultura implica em ir além das fronteiras do círculo mágico do jogo para considerar como os mesmos interagem com os contextos em que se encontram. Há várias maneiras de considerarmos os jogos como cultura, estou usando aqui a definição de cultura como produção/pensamento humano e como educadores necessitamos entender o que os jogos podem representar,  as  representações que refletem, os significados dos contextos onde são produzidos e contextos que são jogados.

Legenda: Didi e Dawn protagonistas do jogo
Imagem de divulgação Compulsion Games/Focus Home Interactive

Tal compreensão nos leva a considerarmos o jogo como um texto cultural, possibilitando fazer uma leitura interpretativa do jogo e suas imagens. Vou usar como objeto de estudo o jogo eletrônico Contrast, um jogo de quebra-cabeça independente de plataforma que foi desenvolvido pela Compulsion Games e publicado pela Focus Home Interactive ambientado na França dos anos de 1920.

O jogo constrói a trajetória vivida por uma menina que tenta ao longo de sua jornada reconciliar os pais, dois adultos em crise, um conflito emocional muito diferente dos tiros e zumbis amplamente difundidos pela indústria dos jogos eletrônicos. A classificação etária é de 10.

Além das questões estéticas o que mais me chamou atenção é o fato de a protagonista ser uma menina, Didi, que interage com a jovem acrobata/mímica Dawn, uma projeção criada pela criança. Não há ninguém no mundo além delas, toda a interação com os outros personagens se dá através das suas sombras na parede. Que relações humanas e de gênero estão presentes nessa narrativa?

Legenda: Contrastes interação entre linguagens 2D e 3D.
Imagem de divulgação Compulsion Games/Focus Home Interactive

Quanto a estética o jogo utiliza da ideia de contraste em vários aspectos, o mais óbvio é o uso de claro/ escuro, sombras projetadas e alternância entre a linguagem 2D e 3D. As cenas da cidade destruída nos remetem as paisagens de De Chirico, é possível ainda perceber as características  e inspirações no Vaudeville  e na Art Deco. O jazz ambienta o jogo, assim como a voz rouca da mãe de Didi, uma cantora, nos lembra suas divas. Quantas referências foram utilizadas para criar esse jogo?

A partir dessa breve apresentação de um único jogo, que leituras e diálogos, nós arte/educadores, podemos fazer com nossos jovens educandos sobre os jogos eletrônicos?

É claro que fiz uma escolha, mas mesmo alguns blockbusters nos possibilitam essas e outras abordagens, precisamos estar atentos apenas à faixa etária, mesmo sabendo que ela não é respeitada, muitas vezes nem pelos pais que compram os jogos, mas isso é uma outra conversa.

[Aprofundando a discussão]






Até mais,
Carolina




07 maio 2014

Mande seu currículo pra gente!

O Arteducação Produções está atualizando seu banco de currículos para futuros processos seletivos de educadores. 

Perfil desejado:

• Formação ou em formação (a partir do 3º semestre) nas grandes áreas de ARTES, EDUCAÇÃO E LINGUAGENS (ex. artes visuais, cênicas, design, fotografia, letras, arquitetura, história, história da arte, geografia, educação, antropologia...);
 Experiência ou interesse em atuar na área da educação não-formal;
• Se fluente em inglês ou espanhol, ressaltar no currículo.

Desenvolvemos projetos de educação patrimonial, arte/educação e mediação cultural em diversas instituições.
Para conhecer mais estes e outros serviços e produtos da empresa, acesse:
http://www.arteducacaoproducoes.com.br/

Em andamento: Projeto Educativo do Museu da Cidade de São Paulo:http://www.museudacidade.sp.gov.br/

Interessados devem enviar seu currículo para o e-mail
contato@arteducacaoproducoes.com.br

Por gentileza informar CURRICULO no ASSUNTO do e-mail.

Att.,
AEP - Arteducação Produções
11 3104 3140
11 3105 3948